C. CIENT.-HUMANÍSTICOS NA MODALIDADE DE ENSINO RECORRENTE


O Ensino Secundário Recorrente concede uma certificação equivalente, para todos os efeitos legais, à que é obtida nos percursos do nível secundário de educação que funcionam em regime diurno, mas organiza-se de forma autónoma no que respeita às condições de acesso, currículos, programas, avaliação dos alunos, etc., tendo em vista adequar-se aos grupos etários a que se destina, bem como à sua experiência de vida e aos conhecimentos entretanto adquiridos. Esta oferta formativa foi renovada a partir do ano letivo de 2004-05, pelo que está em funcionamento a progressão por unidades capitalizáveis: os cursos organizam-se por disciplina, em regime modular, de acordo com um referencial de três anos.

  • Os cursos podem ser frequentados nas seguintes modalidades:
    • modalidade de frequência presencial, em que a avaliação é contínua, estando o aluno integrado numa turma e sujeito ao dever de assiduidade.
    • modalidade de frequência não presencial em que o aluno estará sujeito à realização de provas de avaliação em épocas próprias, situação que proporciona aos alunos uma maior autonomia em termos de aprendizagem.

Atividades na sala de aula e na biblioteca da Escola

Avaliação

A avaliação depende da modalidade de frequência escolhida.

  • Modalidade presencial
    • Regime modular por disciplina/ano de escolaridade;
    • Capitalização trimestral;
    • Possibilidade de capitalização não sequencial;
    • Avaliação de recurso para capitalização de módulos em atraso.
  • Modalidade não presencial
    • Capitalização obrigatoriamente sequencial;
    • Realização de provas por módulo ou conjunto de três módulos;
    • Necessidade de se matricular;
    • Possibilidade de usufruir de apoio pontual.

Curso de Ciências e Tecnologias

O Curso de Ciências e Tecnologias que, na sua génese, pretende formar cidadãos ativos numa sociedade desenvolvida científica e tecnologicamente, apresenta-se no regime nocturno como uma oportunidade de os alunos que interromperam o seu percurso escolar poderem ainda concluir o 12º ano e/ou concorrer a uma vaga na universidade. Torna-se também uma forma de valorização profissional e aperfeiçoamento de conhecimentos por parte dos alunos que já se encontram no mercado de trabalho.

Curso de Línguas e Humanidades

O Curso de Línguas e Humanidades do ensino secundário recorrente, que partilha os mesmos objetivos do curso diurno, destina-se em primeira instância aos alunos que pretendem prosseguir estudos superiores na área das línguas e humanidades. Para os alunos que não concluíram a escolaridade obrigatória e pretendem fazê-lo, o curso propõe um conjunto de conhecimentos que lhes propiciem o desenvolvimento das suas competências comunicativas, a compreensão e expressão oral e escrita em português e numa língua estrangeira. Pretende-se ainda alargar o universo cultural dos alunos nos campos da história e da cultura portuguesa e universal. Com este percurso, muito direcionado para uma vertente prática, os alunos adquirem formas de comunicação que os ajudam a desenvolver a sua área profissional, quando já se encontram no mercado de trabalho, e a procurar saídas profissionais, quando ainda as não têm.

EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS (EFA)


A população de Rio de Mouro, e do concelho de Sintra em geral, é multifacetada e multilinguística. O concelho alberga uma população ativa que desenvolve a sua atividade na área da Grande Lisboa e uma população inactiva que vive em condições precárias, originadas pelo desemprego de longa duração e pelo desenraizamento cultural. São emigrantes de países de expressão portuguesa e de outras nacionalidades, alguns dos quais em situação de iliteracia total, outros com necessidade de enriquecerem os seus conhecimentos da língua portuguesa, completando estudos (1º, 2º e 3º ciclos) para valorização pessoal, profissional e sobretudo para integração plena na nossa sociedade.

Consciente desta realidade, o Agrupamento de Escolas Leal da Câmara privilegia, na sua oferta formativa, a disponibilização destes cursos de forma a eliminar assimetrias e proporcionar à comunidade educativa (pais e encarregados de educação de alunos; jovens que interromperam o seu ciclo de estudos) a possibilidade de melhorarem as suas qualificações.

A aprendizagem envolve a Língua e a Comunicação em Português e Inglês, a Matemática para a Vida, a Cidadania e a Empregabilidade, para além das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC).

De salientar ainda a partilha de experiências de vida, o convívio e a elevada motivação destes alunos, para quem a escola se revela como uma janela para o mundo.


Trabalhos realizados na discicplina de Tecnologias da Informação e Comunicação


Trabalhos realizados na discicplina de Tecnologias da Informação e Comunicação: Operar em Segurança Equipamento Tecnológico

Nível Básico de Certificação de Qualificações

    • EFA B1 Escolar – certificação da conclusão do 1º ciclo do Ensino Básico (4º ano)
    • EFA B2 Escolar – certificação da conclusão do 2º ciclo do Ensino Básico (6º ano)
    • EFA B3 Escolar – certificação da conclusão do 3º ciclo do Ensino Básico (9º ano)

  • Destinatários:
    • Alunos que pretendam completar o 1º, 2º, 3º ciclo do ensino básico ou o ensino secundário;
  • Alunos que pretendam obter uma certificação profissional.
    • Alunos com idade igual ou superior a 18 anos, feitos até 30 de agosto de 2015.
      • a título excecional, poderá ser aprovada a frequência num determinado Curso EFA a formandos com idade inferior a 18 anos, desde que estejam inseridos no mercado de trabalho;
  • Objetivo:
    • Estes cursos dão a possibilidade de adquirir habilitações escolares e/ou competências profissionais, com vista a uma (re)inserção ou progressão no mercado de trabalho.
  • Organização dos Cursos
    • Perspetiva de aprendizagem ao longo da vida;
    • Percursos de formação definidos a partir de um diagnóstico inicial avaliativo, efetuado pela entidade formadora do Curso EFA, ou de um processo de reconhecimento e validação das competências que o adulto foi adquirindo ao longo da vida;
    • Percursos formativos desenvolvidos de forma articulada, integrando uma formação de base e uma formação tecnológica ou apenas uma destas;
    • Modelo de formação modular, tendo por base os referencias de formação que integram o Catálogo Nacional de Qualificações;
    • Desenvolvimento de uma formação centrada em processos reflexivos e de aquisição de competências, através de um módulo intitulado “Aprender com autonomia” (nível básico de educação e/ou certificação profissional) ou de um “Portefólio reflexivo de aprendizagens” (nível secundário e/ou certificação profissional).
  • Duração dos Cursos:
    • B 1 e B2 - 1 ano
    • B3 - 2 anos.

Trabalho realizado na disciplina de Inglês.

Atividades desenvolvidas no Curso EFA: visitas de estudo, palestras, etc.

C. DE PORTUGUÊS PARA FALANTES DE OUTRAS LÍNGUAS


Para apoiar a aprendizagem da língua portuguesa e a integração dos emigrantes em Portugal, estes cursos de Português para Falantes de outras Línguas, financiado no 1º ano pelo Fundo Social Europeu, entre outras instituições, tem como objetivo possibilitar aos formandos um contacto com a cultura e a civilização do nosso país, considerando a necessidade de originar meios de empregabilidade e valorização, para uma integração mais fácil.

Para os interessados na aquisição de nacionalidade portuguesa, este curso constitui prova de conhecimentos de língua portuguesa para o referido efeito. De acordo com a legislação, os formandos são subsidiados no 1º ano do curso, no nível A 1.

(Decreto-Lei nº 43/2013 de 01-04-2013)

  • Níveis:
    • A1 e A2 - iniciação;
    • B1 e B2 - continuação.
  • Duração:
    • 150 horas (para cada nível), de setembro a junho.
  • Horário:
    • Entre as 19h30 e as 22h30, duas vezes por semana.
  • Destinatários:
    • Cidadãos de países estrangeiros que pretendam ter formação em língua portuguesa ou obter a nacionalidade portuguesa.
Informação adicional sobre as Unidades de Formação dos Cursos de Português para Falantes de outras Línguas.
"